quarta-feira, 5 de julho de 2017

Médicos voltam ao trabalho e terão que apresentar proposta sobre ponto eletrônico


Em menos de 24 horas de paralisação, os médicos da rede estadual decidiram encerrar a paralisação iniciada nesta terça-feira (4).  Durante uma assembleia extraordinária, realizada ainda na noite de ontem, a categoria aceitou a proposta apresentada pelo secretário Estadual de Saúde, Florentino Neto. 
A categoria reivindicava a questão de cortes salariais, ponto eletrônico e as condições precárias de trabalho em algumas unidades de saúde. A paralisação estava prevista para encerrar na próxima quinta-feira (6), totalizando três dias de movimento. 
Com o encerramento antecipada, os atendimentos eletivos devem voltar a acontecer normalmente nos hospitais estaduais de todo o Piauí já nesta quarta-feira (05).
Propostas
Em nota, o Sindicato dos Médicos informou que a proposta apresentada pelo secretário é de "que irá pagar os 10 dias de falta e que por enquanto a frequência continua sendo aferida pelas metas", ou seja, fica suspenso o uso do ponto eletrônico. 
A Secretaria Estadual de Administração informou ao Cidadeverde.com que o uso do ponto eletrônico para a frenquência dos médicos ficará suspenso por sete dias. Uma comissão formada por médicos e representantes das secretarias estaduais de Administração, Saúde e da Procuradoria Geral do Estado estudará uma nova proposta sobre ponto eletrônico e metas. 
O Governo Estadual também garantiu que irá restituir os salários dos profissionais que tiveram corte no pagamento em folha de suplementar. 
O presidente do Sindicato dos Médicos do Estado do Piauí (Simepi), Samuel Rêgo, chegou a relatar em entrevista ao Notícia da Manhã que teve corte salarial de 10 dias de trabalho, o que corresponde a cerca de 1/3 da remuneração.
Remarcação 
A direção do Hospital Getúlio Vargas (HGV) chegou a remarcar as consultas agendadas para os dias 4 , 5 e 6 de julho no Ambulatório Integrado Dirceu Mendes Arcoverde (Prédio Azul) para, respectivamente, os dias 25, 26 e 27 de julho.
Veja a nota na íntegra:
COMUNICADO DO SIMEPI
Em assembleia extraordinária, realizada no dia 4 de julho (terça-feira), a classe médica aceitou a proposta do secretário de saúde, Florentino Neto, de que irá pagar os 10 dias de falta e que por enquanto a frequência continua sendo aferida pelas metas e decidiu suspender a paralisação que continuaria nos dias 5 e 6 de julho. Com a decisão, o sindicato volta a negociar sobre a forma que será utilizada para aferir a frequência dos médicos, por meio de comissão instituída pela Secretaria de Saúde do Piauí que irá analisar e propor alternativas de gestão do Sistema de Controle de Frequência.
Saúde se faz com dignidade!
Sindicato dos Médicos do Estado do Piauí - SIMEPI
cidadeverde